sábado, 23 de abril de 2016

Cronologia para o Convento de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro dito de São Domingos de Aveiro

Cronologia para o Convento de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro dito de São Domingos de Aveiro, atual Paroquial de Nossa Senhora da Glória e Sé de Aveiro
(ordenada por data, assunto e fonte de informação)

Hugo Cálão, 2013


Século XV e XVI

1418-00-00         Data apontada para início da construção da muralha de Aveiro por ordem do infante D. Pedro, filho do rei D. João I.  

1422-08-04         Na noite de 4 para 5 de Agosto, segundo deliciosamente conta Frei Luís de Sousa, a Virgem Maria apareceu a um velho aveirense, de nome Afonso Domingues, pobre e entrevado, curando-o e ordenando-Ihe que assinalasse com uma enxada o local onde desejava que o Infante D. Pedro mandasse erguer um convento em Sua honra – sendo esta a origem do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia.   (Sousa, Frei Luís de, História de S. Domingos, II Parte, Livro III, Capítulo III).

1423-00-00         Neste ano “…lançou o Infante por suas maos a primeira pedra…” do Convento, improvisando-se um altar no local da capela-mor onde o “…Padre Frei Mendo de Sanctarem vigairo dos conventos reformados…” celebrou a primeira eucaristia.           (Sousa, Frei Luís de, História de São Domingos Porto. Lello e irmãos. 1977, p. 928).

1423-02-19         A pedido do Infante D. Pedro o Papa Martinho V, por um breve desta data – há quem afirme ser datado de 13 de Março do mesmo ano – autorizou a fundação do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia em Aveiro.                (Sousa, Frei Luís de -Frei Luís Cácegas- , História de S. Domingos, II Parte, Livro III, Cap. III; Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 51).

1423-05-13         Fundação do Convento pelo Infante D. Pedro: “…o Este mosteiro de NossaSenhora da Misericordia da Villa de Aueiro segundo se achou em hum caderno Antigo foi fundado eComessado peloInfante Dom Pedro filho delRei dom João de boa memoria duque de Coimbra Esenhor de monte mor o velho A 13 dias do mes de maio A hora da Terça no anno do nacimento de Nossosenhor Jeshus Crispto de 1423…”, informação que constava a fls. 108 do segundo livro velho dos prazos do Convento.     (PT/AUC/III/1ªD/15/2/2, Convento de São Domingos de Aveiro, Livro de Lembranças de Missas, fl. 1; Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 51).

1423-05-23         O Infante D. Pedro, filho de El-Rei D. João l colocou por suas mãos a primeira pedra para a construção do Convento de Nossa Senhora do Pranto, de religiosos dominicanos, que depois foi chamado de Nossa Senhora da Piedade e, finalmente, de Nossa Senhora da Misericórdia. É apontada nesta data a execução do sino de Santa Maria da torre.                (Sousa, Frei Luís de, História de S. Domingos, II Parte, Livro III, Cap. III; Marques Gomes, em Subsídios para a História de Aveiro, pg. 261).

1424-04-22         Nesta data, “…O Infante Dom pedro para fundamento deste mosteiro comprou dous chaos como consta da Scriptura feita por Afonso pirez Tabaliam…”.     (PT/AUC/ III/1ªD/15/2/2, Convento de São Domingos de Aveiro. Livro de Lembranças de Missas, fl. 2).

1424-05-07         Nesta data o Infante D. Pedro “…comprou outros chaos neste mesmo Lugar como consta da sCriptura feita por Lopo dias tabaliao …”.           (PT/AUC/ III/1ªD/15/2/2, Convento de São Domingos de Aveiro. Livro de Lembranças de Missas, fl. 2.)

1425-03-13         Foi passado breve pontifício pelo papa Martinho V: “…oditto Iffante DomPedro ouue breue dePappa Martinhoquinto noitauo anno deseu Pontificado aostrezedias domes demarço o qual euEscriuao ui queEstaEm hum purgaminho com sello de chumbo pendente dehum  cordão amarello euermelho…”   .              (PT/AUC/ III/1ªD/ 15/2/6, Convento de São Domingos de Aveiro. Primeiro Tombo Novo., fl. 48v).

1439-00-00         O papa Eugénio IV concedeu indulgência plenária a todos os religiosos que falecessem nesta casa.                      (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV).

1445-07-31         Foi passada carta de padrão ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro, de 286.000 réis de esmola.         (Torre do Tombo, Místicos, livro 3, fl. 146).

1449-05-20         Data da morte do Infante D. Pedro, instituidor do Mosteiro de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro.    
           
1449-07-16         Por carta desta data, El-Rei D. Afonso V tomou o prior e o Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, com todas as suas coisas, em sua guarda e protecção.               (Torre do Tombo, Estremadura, livro 8, fls. 223v-224v).

1451-00-00         O Conde de Mira, D. Sancho de Noronha, Senhor de Aveiro, após a morte do infante, doou ao mosteiro nesta data alguns terrenos.                       (PT/AUC/ III/1ªD/15/2/2, Convento de São Domingos de Aveiro. Livro de Lembranças de Missas, fl. 2).

1451-03-25         Foi passada carta de privilégio ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, para que não fosse constrangido a pagar sisa, portagens nem costumagens das coisas que lhe fossem dadas por amor de Deus.                (Torre do Tombo, Estremadura, livro 8, fls. 169-169v).

1451-04-02         Foi passada a favor do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro, uma carta de padrão de 10.000 réis e cinco moios e vinte alqueires de trigo.               (Torre do Tombo, Místicos, livro 3, fl. 162v).

1451-04-02         Foi dada carta de privilégio para um procurador e dois mandadores do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da Vila de Aveiro.       (Torre do Tombo, Estremadura, livro 8, fl. 165).

1451-09-18         D. Sancho de Noronha, conde de Odemira e senhor de Aveiro, doou ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia um pedaço de terreno ao longo das muralhas, de uma a outra parte – o que constava de uma escritura, feita pelo tabelião Afonso Vaz.            (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 52).

1456-10-29         Foi passada carta de privilégio aos frades do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro, pela qual foram escusos de pagarem sisa dízima ou portagem das bestas, madeiras e outras coisas.                (Torre do Tombo, Estremadura, livro 3, fls. 214-214v. Rangel de Quadros, em Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 52, equivocou-se no dia, indicando 28-10-1456).

1457-10-12         El-Rei D. Afonso V concedeu ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia isenção do pagamento de sisa, dízima ou portagem de madeiras e animais para abastecimento da mesma casa ou sustento dos seus moradores.        (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 52).

1460-07-09         Frei Marcial Auribelli, geral da Ordem de S. Domingos, confirmou no cargo de vigário-geral dos Conventos Reformados das Províncias de Portugal e de Castela a Frei Antão de Santa Maria de Neiva, insigne entre os principais religiosos do Convento de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, que foi confessor de El-Rei D. Afonso V, do Príncipe D. João e da Princesa Santa Joana.          (Sousa, Frei Luís de, História de S. Domingos, II Parte, Livro III, cap. IV; Frei António de Sena, Crónica Geral da Ordem, pg. 270; Frei Manuel de Lima, Agiológio Dominico, IV, pgs. 631-632).

1460-12-24         Nesta data – ou no dia seguinte – faleceu no Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia o ilustre, douto e virtuoso Frei Antão de Santa Maria de Neiva, tido como o primeiro filho deste Convento, que ocupou elevados cargos na sua Ordem, foi conselheiro e confessor do Infante D. Pedro, de El-Rei D. Afonso V, do Príncipe D. João e da Princesa Santa Joana.             (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fls. 124-125).

1461-02-23         Foi concedido um privilégio ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro, para um oficial de pedraria ou carpintaria que o Convento nomeasse ser escusado de pagar peitas, fintas, talhos, pedidos, empréstimos e outros encargos lançados pelo concelho.            (Torre do Tombo, Estremadura, livro 5, fl. 153v).

1465-11-26         Foi passada ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da Vila de Aveiro, uma carta de padrão de 10.000 reis e oito alqueires de grão em cada ano. 
(Torre do Tombo, Místicos, livro 3, fl. 46v).

1466-05-08         A pedido de El-Rei D. Afonso V, o Papa Pio II concedeu um breve para que os dominicanos do Convento de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro, não pagassem coisa alguma ao provincial quando este os visitasse. Castela e Portugal formavam então uma só província da Ordem Dominicana e, quando os provinciais eram castelhanos, parece que abusavam, mostrando mais interesse material do que espiritual.   (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 52).

1466-12-08         Guiomar Velha faz doação ao Convento de uma casa que possuía na rua de Jesus ou rua das Freiras em Aveiro na nota do tabelião Fernão Anes.             (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV).

1469-01-16         El-Rei D. Afonso V deu carta de padrão ao Convento de Nossa Senhora da Misericórdia, dos frades dominicanos, de 4.800 réis de tença por cinco moios e vinte alqueires que havia pelas rendas de Recardães e Segadães.                (Torre do Tombo, Místicos, livro 3, fls. 18v-19).

1470-01-04         Falecimento de D. Helena Pereira, mulher de D. João de Albuquerque, Senhor de Angeja, mais tarde sepultada na Capela do Senhor Jesus deste mosteiro.  (cf. inscrição tumular).

1476-08-06         El-Rei D. Afonso V passou uma carta ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, para que o monteiro-mor das matas da Terra de Santa Maria lhe deixasse cada ano cortar as barcádegas de lenha a que tinha direito.                     (Torre do Tombo, Estremadura, livro 3, fls. 214v-215, e livro 6, fls. 279v-280).

1476-08-28         D. Afonso V deu carta ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, para poder comprar terras que rendessem até oito moios de pão.   (Torre do Tombo, Estremadura, livro 3, fl. 215, e livro 6, fls. 279-279v).

1477-05-12         D. Afonso V deu carta a João de Albuquerque, autorizando-o a deixar ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, uma quinta e uma marinha, para manutenção da capela do Senhor Jesus, que instituíra para sua jazida no referido convento, com o encargo de uma missa diária e da sua conservação.               (Torre do Tombo, Estremadura, livro 8, fl. 135v).

1477-08-20         Pelo tabelião Pedro Afonso, foi lavrada uma escritura de contrato entre o Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia e D. João de Albuquerque, valoroso militar que tomou parte em guerras de África e foi senhor de Angeja, Pinheiro, Figueiredo e Assequins, e sua esposa D. Helena Pereira; por tal instrumento, os benfeitores doaram ao Convento não só a marinha velha ou do Puxadouro, mas também a quinta de Canelas, Estarreja, obrigando-se os frades a missa quotidiana na capela do Senhor Jesus, onde depois seriam tumulados os cadáveres dos dois cônjuges. (PT/AUC/ III/1ªD/15/2/2, Convento de São Domingos de Aveiro. Livro de Lembranças de Missas, fl. 11v. Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fls. 63-64).

1477-12-08         João de Albuquerque, Senhor de Angeja e sua esposa, D. Helena Pereira, fez, ainda em vida doação das suas quintas de Canelas de um pinhal em Fermelã e outras propriedades.         (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV).

1484-01-20         Crê-se que neste ano terá sido sagrada a Igreja do Convento por D. Jorge de Almeida, bispo de Coimbra. (e não no ano de 1464 como apontado por este autor)      (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV).

1484-02-03         Neste dia, El-Rei D. João II confirmou a doação de duas propriedades – a quinta de Canelas e a marinha do Puxadouro – feita ao Convento de Nossa Senhora da Misericórdia, em escritura de 20 de Agosto de 1477, pelo fidalgo e guerreiro João de Albuquerque, propriedades de que os religiosos dominicanos haviam tomado posse em 8 de Dezembro daquele ano.     (Arquivo do Distrito de Aveiro, boletim, IV, pg. 108).

1484-02-03         El-Rei D. João II, de passagem por Aveiro, confirmou a carta de D. Afonso V, de 29 de Outubro de 1456, pela qual os religiosos do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia foram isentos do pagamento de sisa, dízima ou portagem de bestas, madeiras e outras coisas e também confirmou carta de D. Afonso V  de 2 de Agosto de 1472.                (Torre do Tombo, Estremadura, livro 3, fls. 214­-214v; livro 6, fls. 280-280v).

1487-11-08         El-Rei D. João II enviou ao ilustre dominicano Dr. Frei Pedro Dias, seu pregador e conselheiro, urna carta muito honrosa. O insigne aveirense, grande diplomata, desempenhou com brilho diversas missões importantes, entre elas a de embaixador à Corte de Espanha, onde foi negociar o casamento do Príncipe D. Afonso com a Infanta D. Isabel, filha dos «Reis Católicos».     (Sousa, Frei Luís de, História de S. Domingos, Parte II, Livro II, Cap. VII).

1494-02-23         Após prolongado sofrimento, que suportou com heróica virtude, faleceu no Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia o erudito e virtuoso Frei Bartolomeu de S. Domingos.  (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 123).

1496-04-21         D. Manuel I confirmou todos os privilégios condedidos pelos seus antecessores a este mosteiro.          (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV).

Século XVI

1500-00-00         Construção da Casa do Capítulo, financiada por Francisco de Sousa Tavares.     (Ferreira, António José Leandro Costa, Poder, prestígio e imagem no antigo Convento de São Domingos de Aveiro, 2005, p. 49).

1502-10-31         Foi passada carta de esmola de cinco moios de trigo e 10.000 réis de tença ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro.          (Torre do Tombo, Estremadura, livro 12, fl. 32v).

1502-10-31         Confirmando outra de D. Afonso V, foi passada carta de esmola de 6.000 reis ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro, para nele se cantar uma capela pelos que estão na cidade de Ceuta.                                (Torre do Tombo, Estremadura, livro 12, fls. 53-53v)

1502-10-31         Foi passada carta de esmola anual de uma arroba de açúcar ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da Vila de Aveiro.                (Torre do Tombo, Estremadura, livro 12, fl. 53v).

1506-06-07         João Anes e sua mulher Violante Fernandes fazem doação a este mosteiro de uma casa térrea perto do postigo de Rabais que ia para o Alboi, na rua Nova, junto às muralhas de Aveiro, a primeira defronte da rua do Loureiro.                (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV).

1510-10-16         D. Manuel I por alvará dado em Coimbra, permite que o Convento pudesse receber de qualquer pessoa licença de esmola até oito meios de pão ou terras.                        (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV).

1511-03-11         Foi passada carta ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, da vila de Aveiro, para poder haver bens de raiz no valor de 80.000 réis, que deixou Sebastião de Almeida para se cantarem três missas cada semana                .              (Torre do Tombo, Estremadura, livro 13, fls. 217v-218).

1522-05-03         Isabel Anes, a Gaga, deixa em testamento desta data, a sua casa sobradada fora da Porta da Vila ou das Fangas, à esquina da rua do Espírito Santo de Aveiro, a primeira à direita.                          (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV)

1528-01-08         Faleceu em Évora, com mais de setenta anos de idade, o virtuosíssimo dominicano aveirense Frei Pedro, que de grumete se tornou frade leigo e foi porteiro dos conventos de Aveiro e de Évora, merecendo, pelas suas invulgares qualidades, ser biografado pelo grande humanista Mestre André de Resende.               (André de Resende, A santa vida e religiosa conversação de Frei Pedro, porteiro do mosteiro de S. Domingos de Évora, 1570; Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 27).

1528-06-21         No Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia professou o insigne aveirense D. Frei Jorge de Santa Luzia, primeiro bispo de Malaca, na Índia, ilustre por saber, espírito profético e santidade, que se notabilizou em trabalhos apostólicos e na defesa da Pátria.       (Sousa, Frei Luís de, História de S. Domingos, II Parte, Livro III, Cap. XI; Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I. fl. 11. Rosário, Frei António do, Dominicanos no Episcopológio dos Descobrimentos, Coimbra, 1991, p.363).

1528-09-09         El-Rei D. João III, por uma carta de António Godinho, mandou que o ouvidor António Dias, por si ou pelo corregedor da Comarca, indagasse a verdade sobre os objectos e os valores que o cunhado do insigne aveirense D. Frei Duarte Nunes, bispo titular de Laoidiceia e primeiro prelado português da Índia, falecido neste ano em Aveiro, havia sonegado e que os mandasse entregar ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia.  (Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fls. 34-35).

1533-09-21         D. Frei Jorge de Santa Luzia é citado como simples frade num aforamento feito ao Convento de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro.       (PT/AUC/ III/1ªD/15/ liv.35, Convento de São Domingos de Aveiro, f.75v., Frei António do, Dominicanos no Episcopológio dos Descobrimentos, Coimbra, 1991, p.363).

1540-10-07         Isabel Alves faz doação a este mosteiro de uma casa térrea na rua da Cadeia Velha, que atravessa a rua Direita, junto à Porta da Vila até à Porta de Vagos da muralha de Aveiro.

1541-00-00         O prior Frei Gonçalo de Oliveira doa um relicário de prata dourada à comunidade, para a colocação do Santo Lenho. 

1550-00-00         Data inscrita na lateral da Capela de João de Albuquerque, balizando as obras realizadas entre este ano e 1559.    

1551-09-02         D. Catarina de Ataíde, filha de D. Álvaro de Sousa e de D. Filipa de Ataíde, fez o seu testamento por mão do Padre Frei Domingos da Vitória, prior dos Dominicanos, que logo foi confirmado por seu pai. Por tal instrumento, o Convento de Nossa Senhora da Misericórdia era contemplado com a importância de 20.000 réis de juro anual, para que fosse dada sepultura à testadora e a seus progenitores e descendentes destes, e para que houvesse missa quotidiana pelas almas de todos.   (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 57).

1551-09-28         Faleceu D. Catarina de Ataíde, dama da Rainha D. Catarina, filha de Álvaro de Sousa e de sua primeira mulher D. Filipa de Ataíde, que foi sepultada num túmulo dentro da igreja do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia.     (Inscrição tumular; A. Nogueira Gonçalves, Inventário Artístico de Portugal – Aveiro-Sul, pg. 108)

1553-08-16         El-Rei D. João III confirmou a faculdade de o Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia possuir todos os bens de raiz, até então adquiridos.      (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 55).

1553-11-13         É alcançada sentença favorável da demanda contra João Pires sobre as casas doadas por Isabel Anes na rua do Espírito Santo de Aveiro onde o mosteiro tinha a casa dos fornos.  

1557-03-29         Nomeado bispo de Malaca por D. João III, e obtida a confirmação da Santa Sé, recebeu a Ordem Episcopal em Lisboa, na igreja de S. Domingos, D. Frei Jorge de Santa Luzia, religioso do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro.   (Marques Gomes, Memorias de Aveiro, pg. 186).

1558-12-11         Pedro Ribeiro, filho de João Anes, fez a suas irmãs Maria e Isabel a doação de uma vessada em Loure, para elas usufruírem; depois da sua morte, a propriedade passaria para a Irmandade do Senhor Jesus, erecta na igreja dos Padres Dominicanos, em Aveiro. É o documento mais antigo desta corporação.              (Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 71).

1559-00-00         Data inscrita no retábulo da Capela de Nossa Senhora da Visitação e data inscrita no pedestal da coluna do arco da Capela do Santíssimo.  

1563-02-25         João Ribeiro, morador em Santarém a Maria Simões e António Simões, sua irmã e cunhado fazem escritura de doação de meia geira de terra no campo do canal onde chamam a Caneira às Confrarias deste Convento. (PT-CSJCNSGAVR/A/01/1, Tombo da Confraria de Nossa Senhora do Rosário e do Senhor Jesus do Convento de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro, f.16.

1563-03-30         D. Sebastião concedeu ao Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia a faculdade, de possuir uma vinha e um pedaço de terreno, que haviam sido de André Falcão, e uma terra que fora dos herdeiros de André Luís, contanto que não fossem bens reguengos.       Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 55.

1564-03-13         Foi passada carta de confirmação de um padrão de 12.000 réis ao prior do Convento de S. Domingos de Aveiro. Torre do Tombo, Chancelaria de D. Sebastião, livro 5, fl. 40.

1564-11-26         Frei Luís de Abreu, então prelado do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, escreveu a curiosa lenda de Nossa Senhora da Escadinha, de grande interesse local, com fundamento nas informações de Frei Francisco de Aveiro, que professara no Convento da sua terra e aqui faleceu com perto de cem anos, deixando boa fama das suas muitas virtudes.            Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 342, e Aveirenses Notáveis, I, fl. 83.

1566-05-06         Segundo o Agiologio Lusitano e a Chronica da Soledade, faleceu neste dia o ilustre franciscano aveirense Frei Simão de Tavares, também conhecido por Frei Simão de Aveiro, que professou no Convento de Santo António, em Aveiro, depois de ter enviuvado, com 63 anos de idade e «durou 23 mais na Ordem onde viveu e acabou religiosa e virtuosamente».             Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fls. 28-30.

1566-10-10         O Cardeal Infante D. Henrique nomeou presidente do Tribunal da Inquisição de Évora o insigne dominicano aveirense Frei Manuel da Veiga, que num capítulo geral realizado em Santarém, em 1571, foi eleito provincial, por unanimidade de votos, não chegando a exercer o lugar por não ter sido dispensado da presidência do Tribunal da Inquisição de Lisboa, que então ocupava. Foi também presidente do Tribunal da Inquisição de Coimbra, revedor geral dos livros, lente de Teologia e bom letrado. Inteligente, erudito e virtuoso, foi indigitado bispo de Viseu, dignidade que não aceitou.               Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fls. 174-175.

1570-10-01         Foi autorizada a publicação da «Sancta vida e religiosa e conversação de Frey Pedro…», religioso dominicano natural de Aveiro, escrita por Mestre André de Resende. Resende, André de, Cortesão, Jaime, pref.; Neto, Serafim da Silva, Rio de Janeiro : Dois Mundos, 1947.

1571-07-25         Frei António de Sena, religioso do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, embora não natural de Aveiro, alcançou o grau de doutor na Universidade de Lovaina, onde foi regente-geral dos Estudos. Escreveu a «Crónica da Ordem dos Frades Pregadores», a «Biblioteca da Ordem dos Frades Pregadores» e os «Comentários da Teologia de S. Tomás de Aquino».          In jornal Litoral, 24-11-1956.

1577-10-06         Fez o seu testamento o muito ilustre Cosme Dias, instituidor da capela de Santo Amaro, na povoação de Vilar.     Arquivo do Distrito de Aveiro, boletim, XII, pg. 166.

1578-10-20         O insigne aveirense D. Frei Jorge de Santa Luzia, bispo de Malaca, escreveu ao prior do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia uma carta muito notável, através da qual se conhecem algumas benemerências do egrégio prelado a favor deste Convento da sua terra, onde havia professado.                         Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 14; e Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fls. 105-106

1578-11-09         Segundo uma nota que existia no cartório do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, faleceu neste dia D. Frei Jorge de Santa Luzia, bispo de Malaca. O «Agiologio Lusitano» anota a sua morte em 18 de Janeiro de 1579.                              Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 15; Jorge Cardoso, Agiologio Lusitano, pp. 180 e 186.

1579-01-18         Faleceu em Goa neste dia, segundo consta do Agiologio Lusitano, o ilustre aveirense D. Frei Jorge de Santa Luzia, bispo de Malaca. Uma nota que existia no cartório do Convento de S. Domingos, em Aveiro, dava-o como falecido em 9 de Novembro de 1578.
Jorge Cardoso, Agiologio Lusitano, I, pgs. 180 e 186; Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 15.

1580-09-10         Apesar de derrotado na Ponte de Alcântara, entrou em Aveiro, pela força das armas, D. António, Prior do Crato, pretendente à Coroa de Portugal, que se instalou no Convento de São Domingos e, três dias depois, no palácio de Francisco Tavares; em face da oposição de muitos aveirenses, alguns foram condenados à forca, outros foram mortos em combate e a vila foi saqueada e maltratada pela soldadesca e varejada por artilharia vinda do castelo da Feira.                Marques Gomes, Subsídios para a História de Aveiro, pgs. 422 e 425; Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Avulsos, Manuscrito, fl. 323.

1588-03-30         D. Filipe I por carta publicada em Lisboa determina que de preferência e sob pena de 2.000 reis fossem vendidos o pescado, a carne e outros quaisquer mantimentos de que carecessem os religiosos deste mosteiro.           Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV.

1589-09-14         Professou no Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, com o nome de Frei Miguel da Cruz – «por ser o dia da Exaltação da Santa Cruz» – o insigne aveirense D. Frei Miguel Rangel, que ali tomara o hábito de noviço no mesmo dia do ano anterior; mais tarde foi vigário-geral da sua Ordem na Índia e bispo de Cochim. Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 72; Marques Gomes, em O Districto de Aveiro, pg. 155, diz erradamente que tomou o hábito em 18-10-1589.

1590-01-05         Faleceu em Goa, envenenado, o ilustre dominicano aveirense Frei João Lopes, que estudara em Coimbra, no Colégio de S. Tomás, «donde saiu bom letrado e pregador eminente». Apaixonou-se por ele uma das principais damas de Goa, que, repelida e despeitada, subornou um familiar do convento para envenenar a comida destinada ao virtuoso frade.   Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I. fls. 22­-23.

1590-11-12         O terceiro duque de Aveiro, D. Álvaro de Lencastre, escreveu uma carta rogatória para que, da renda da jugada, a Câmara de Coimbra pagasse ao Convento de S. Domingos, da mesma cidade, a quantia de 311.333 reis a que montaram os estipêndios pelas missas ordenadas no testamento do primeiro duque, D. João de Lencastre.   Câmara Municipal de Coimbra, Indices e summarios, 2.ª parte, fasc. II, pg. 176.

1592-05-20         O Padre Manuel Gonçalves, natural de Aveiro, que, tendo sido abade de Ribeirão, no concelho de Vila Nova de Famalicão, veio a professar no Convento de S. Domingos desta vila, onde se tornou notável em humildade, comprou nesta data uma marinha chamada «a Ruiva», sita na Remelha, na ria de Aveiro, que depois legou à Confraria de Nossa Senhora do Rosário, erecta no templo do dito Convento. Os seus restos mortais jazem na mesma igreja, em lugar assinalado por uma lápide.         Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV, fl. 39, e Aveirenses Notáveis, Manuscrito, II, fl. 44.

1597-01-20         Francisco de Sousa de Tavares, Senhor de Mira, manda fazer à sua custa, por escritura desta data, a Capela e retábulo da Casa do Capitulo deste mosteiro, obrigando-se or religiosos a darem sepultura a seus descendentes e quatro missas semanais e ofício de três lições de missa cantada anualmente.
 
Século XVII      
 
1601-05-20         Entrou como noviço no Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, onde professou em 26 de Maio do ano imediato, o ilustre aveirense Frei Rafael da Fonseca, que foi doutorado em Teologia e chegou, por seus grandes méritos, a exercer o cargo de vigário-geral de toda a Província Dominicana.     E. Pereira e G. Rodri­gues, Portugal-Diccionario, III, pg. 523; Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 63.

1606-00-00         O padroado da capela-mor passa a Diogo Lopes de Sousa, segundo Conde de Miranda.             Gonçalves, Inventário Artístico de Aveiro, p. 109.

1611-06-26         Na igreja de S. Domingos, em Lisboa, recebeu a ordenação episcopal o bispo de Cabo Verde, D. Frei Sebastião da Ascensão, que, embora natural da freguesia de Pinheiro da Bemposta, professara no Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, em Aveiro; presidiu à cerimónia litúrgica D. Miguel de Castro, arcebispo de Lisboa.                Fortunato de Almeida, História da Igreja em Portugal, Livro III, Tomo II, pg. 974; Jorge Cardoso, Agiológio Lusitano, II, pg. 151.           Rangel de Quadros, em Aveirenses Notáveis, I, fl. 136, diz que a cerimónia se realizou na sé de Lisboa.

1613-01-08         O Padre Frei Tomé dos Reis, prior do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, organizou um livro de toda a Fazenda que o convento possuía em Canelas, Fermelainha e Angeja             Arquivo, IV, pg. 107.

1613-00-00         A Capela de João de Albuquerque, hoje do Santíssimo Sacramento é referida pelo  Padre Frey Thomé dos Reis como capela  “…de Jeshus…”, com referência a anteriores invocações:  “…Se chamaua da Saudaçao deSanta maria…” e posteriormente da Anunciação.
PT/AUC/III/1ª D/15/2/2, Convento de S. Domingos de Aveiro. Livro de Lembranças de Missas. Fl. 11.

1614-03-18         Faleceu em Cabo Verde o bispo D. Frei Sebastião da Ascensão que, tendo nascido na freguesia de Pinheiro da Bemposta, professara no Convento Dominicano de Aveiro.
Jorge Cardoso, Agiológio Lusitano, tomo II, pg. 151; Fortunato de Almeida, História da Igreja em Portugal, Tomo III, Parte II, pg. 974; Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 137, diz que faleceu em 12 do mesmo mês e ano.

1615-03-26         Ficou aprovado para provedor do Santo Ofício Frei Diogo Ferreira, natural de Vila Franca, na ocasião morador no seu Convento de Abrantes, mas que fora prior do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, em 1607.             Arquivo do Distrito de Aveiro, boletim, XXIX, pg. 47.

1623-00-00         Nesta data, a Capela da Anunciação é dedicada a Cristo, passando a ser denominada Capela do Senhor Jesus.   Ferreira, 2005, p. 87.

1624-12-11         Obras no alpendre do Convento pelo pedreiro Francisco Carvalho e pelo carpinteiro Bartolomeu Fernandes, por 60$000.        Ferreira, 2005, p. 87.

1630-11-13         Iniciou-se em Lisboa o processo de eleição para bispo de Cochim do dominicano D. Frei Miguel Rangel, um dos mais ilustres aveirenses de todos os tempos.
Biblioteca Apostólica Vaticana, Processus Consistorialis n.º 28.

1631-00-00         Data na talha da primeira capela do Evangelho dita de Nossa Senhora da Misericórdia.                FERREIRA, p. 72.

1631-02-10         O ilustre aveirense D. Frei Manuel Teles de Brito, ou D. Frei Manuel Teles Barreto, religioso dominicano, foi confirmado arcebispo de Goa.  Fortunato de Almeida, História da Igreja em Portugal, 1ª edição, Tomo III, Parte II, p. 1017.

1631-11-10         Foi confirmada a eleição do insigne dominicano aveirense D. Frei Miguel Rangel para bispo de Cochim.                Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 76.

1633-04-17         Professou no Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia o aveirense Frei Manuel de Vasconcelos, que foi professor eminente de Ciências Eclesiásticas e, especialmente, de História Sagrada. Publicou, em 1658, um curioso trabalho com o título «Exemplo ilustre de veneração e grandeza da Real Casa de Medina Sidonia, com que os Príncipes d’ella honraram os Reverendos Padres Gerais da Ordem dos Pregadores»              Frei Pedro Monteiro, Claustro Dominicano, III; E. Pereira e G. Rodrigues, Portugal-Diccionario, VII, p. 329.

1633-06-04         O ilustre dominicano aveirense D. Frei Manuel Teles de Brito, ou D. Frei Manuel Teles Barreto, arcebispo de Goa, faleceu ao passar o Cabo da Boa Esperança, quando seguia em viagem para a sua Arquidiocese, sendo o cadáver para ali conduzido e sepultado na Sé.              Fortunato de Almeida, História da Igreja em Portugal, Tomo II, Parte II, p. 1017.

1636-08-22         Padre Frei António de Jesus, chamado no século António Ribeiro, abade de Ribeirão, em testamento desta data, faz doação às Confrarias deste Mosteiro de uma horta atrás da fonte de São Gregório e 200 cruzados e doze panos de tafetá para se ornar o altar do Senhor Jesus.     PT-CSJCNSGAVR/A/01/1, Tombo da Confraria de Nossa Senhora do Rosário e do Senhor Jesus do Convento de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro, f.14.

1646-09-14         Com 80 anos de idade e 57 de hábito dominicano, faleceu o ilustre aveirense D. Frei Miguel Rangel, bispo de Cochim, eminente em letras e virtudes. Dele escreveu um genealogista: «Espera-se que a piedade pontifícia o beatifique, porque a sua vida foi um exemplo bastante de virtudes».                          Rangel de Quadros, Aveirenses Notáveis, I, fl. 79.

1656-01-17         A Confraria do Senhor Jesus deste Mosteiro faz escritura de aforamento de uma meia geira de terra que está na marinha do Campo de Angeja Manuel Ferreira, ferreiro, e a sua mulher Maria João moradores em Angeja na nota do tabelião Jorge Carneiro da Fonseca.
PT-CSJCNSGAVR/A/01/1, Tombo da Confraria de Nossa Senhora do Rosário e do Senhor Jesus do Convento de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro, f.8.

1659-09-06         Falecimento de Sebastião Crisóstomo Pimentel, sepultado na Capela de Santa Catarina.            Ferreira, 2005, p. 72.

1660-06-25         Roque Nunes, entalhador e escultor portuense, comprometeu-se, por escritura, a executar o retábulo-mor da igreja do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de harmonia com a traça apresentada, com quatro santos de vulto e dois painéis de meio relevo – descida do Espírito Santo e Nossa Senhora da Misericórdia – tudo pela preço de 240.000 réis.   Arquivo Distrital do Porto – Po 5, 1.ª série, n.º 61, fls. 188v-190v; Artur de Magalhães Basto, Apontamentos para um Dicionário de Artistas e Artífices que trabalharam no Porto do Século XV ao Século XVIII, pp. 439-441; Domingos de Pinho Brandão, Obra de Talha Dourada, etc., I, pp. 339-345.

1664-05-02         Falecimento de Maria da Silva, viúva de Manuel Gomes Pimentel, sepultada na Capela de Santa Catarina.                Ferreira, 2005, p. 72

1668-00-00         Referência à Capela de Nossa Senhora dos Prazeres pertence a Manuel André de Figueiredo e à mulher, Francisca da Cruz, com missa quotidiana, para o que deixaram vários bens.       Ferreira, 2005, p. 71.

1668-11-25         Foi Pregado por Álvaro de Escobar Roubam, Prior da Paroquial Igreja de Águeda, e Protonotário Apostólico de sua Santidade, no último dia da oitava, que celebraram os Religiosos dos Mosteiros de São Domingos, e as Religiosas do Convento de Jesus, no Convento de Nossa Senhora da Misericórdia da Vila de Aveiro um sermão para celebrar a Beatificação de Santa Rosa de Santa Maria, Santa Rosa de Lima.         
    
1675-07-31         Contrato com Domingos Lopes, mestre de arquitectura, para a feitura da obra do coro da igreja por 300$000, com cadeiral de duas ordens e um total de 38 cadeiras, com espaldar possuindo 22 telas pintadas com temas hagiográficos.                   Brandão, Domingos de Pinho, Talha dourada, ensamblagem e pintura na cidade e na Diocese do Porto, 1984, vol. I, pp. 423-726.

1678-00-00         Data inscrita na porta do púlpito do Evangelho.       
        
1699-00-00         Data inscrita no púlpito do Evangelho. 

Século XVIII – 1ª metade

1700-01-21         João Coelho de Magalhães, ensamblador portuense, comprometeu-se, por escritura, a fazer sete grades para a igreja do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, por 350.000 réis – uma para o arco-cruzeiro e seis para as capelas laterais. Brandão, Domingos Pinho, Talha Dourada, ensemblagem e pintura na cidade e na diocese do Porto. Documentação dos séculos XV e XVII, Porto, 1984, vol. II., pp. 19-23.

1702-10-12         António Gomes, entalhador portuense, comprometeu-se, por escritura, a executar o retábulo, a tribuna, o tecto apainelado e as ilhargas da capela do Senhor Jesus, actual capela do Santíssimo Sacramento, da igreja do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, pelo preço de 200.000 reis        Brandão, Domingos Pinho – Talha Dourada, ensemblagem e pintura na cidade e na diocese do Porto. Documentação dos séculos XV e XVII, Porto, 1984, vol. II. Pp. 138-142.

1704-00-00         Data inscrita no centro do tecto de madeira da sala da botica do Convento, por baixo de emblema da Ordem Dominicana.      Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV.

1708-07-06         Testamento de D. Francisca Soares, viúva de João Pires Taipinho, deixando todos os seus bens, em troca de missas quotidianas e ordenando que a sepultassem na sua capela de São Gonçalo de Amarante           Ferreira, 2005, p. 64.

1718-08-28         Falecimento de D. Francisca Soares, sepultada na Capela de São Gonçalo           Ferreira, 2005, p. 64.

1719-00-00         Data inscrita no portal principal e na estante do coro e candeeiro das trevas.   

1733-00-00         Publicação por Frei Lucas de Santa Catarina, cronista da Ordem Dominicana, publicou a quarta parte da História de São Domingos afirmando que a Igreja do Convento dominicano de Aveiro não passava de uma grande e desembaraçada casa, ou antes um grande salão referindo que o prior do Convento Frei Manuel de Magalhães, prelado na Índia, quando a Aveiro regressou, empregou os seus ganhos em obras de remodelação      
      .
1741-04-08         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Agostinho de Nossa Senhora que no século se chamava Agostinho Dias da Silva filho legitimo de Manuel Dias da Silva naturais na Vila de Esgueira, por filho deste mesmo Convento           . PT- DIO/CNSMAVR/1.

1741-06-12         José Martins Tinoco, mestre entalhador portuense, contratou com os respectivos religiosos a execução da tribuna e do retábulo da capela-mor da igreja do Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, de Aveiro, conforme planta apresentada e com a condição de se aproveitar o friso e o triângulo das quatro colunas grandes e a «que se acha feito do camarim e trono do retábulo antigo»; os religiosos comprometeram-se a dar-lhe a importância de 172.800 réis.       Arquivo Distrital de Aveiro, Notariado, Tabelião José dos Santos, fls. 51v-53: Brandão, Domingos de Pinho, Talha Dourada, etc., vol. III, pp. 388-392.

1742-02-15         São coligidos pelo Dr. Faustino de Bastos Monteiro em forma pública de Tombo, feito por determinação de D. João V, os documentos de escritura e verbas de testamento originais das Confrarias de Nossa Senhora do Rosário e do Senhor Jesus do Convento dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro, iniciando escrituras em 11 de Dezembro de 1558 e terminando em 14 de Março de 1754.            PT-CSJCNSGAVR/A/01/1, Tombo da Confraria de Nossa Senhora do Rosário e do Senhor Jesus do Convento de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro, f.1. Torre do Tombo, Chancelaria de D. João V, livro 101, fl. 358.

1745-06-29         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Lourenço de São José que no século se chamava Lourenço Manuel Lopes da Guerra filho legitimo de Manuel Lopes da Guerra e de Ângela Maria da Cunha naturais na Vila de Guimarães, arcebispado de Braga, por filho deste mesmo Convento. PT- DIO/CNSMAVR/1.

Século XVIII – 2ª metade

1754-00-00         Data no órgão de tubos e provável reforma da nave, com a construção da nova abóbada.        

1754-12-13         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei José do Espírito Santo que no seu tempo se chamava José Carvalho filho legítimo de Veríssimo Vieira de Carvalho e de Maria Vieira naturais da freguesia de Rio de Galinhas, bispado do Porto, por filho do Convento de São Martinho de Mancelos.        PT- DIO/CNSMAVR/1

1754-11-12         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Joaquim de Nossa Senhora Brandão que no seculo se chamava Joaquim Pinto Brandão, filho legítimo do Dr. Francisco Pinto Brandão e de D. Maria Arcangela todos moradores na Vila de Ovar comarca da Feira, bispado do Porto, por filho deste mesmo Convento.       PT- DIO/CNSMAVR/1

1753-05-06         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Manuel da Ascensão que no século se chamava Manuel Correia filho legitimo de João Correia e de Mariana Teresa Abreu naturais na freguesia de Folhadela perto de Vila Real, arcebispado de Braga, por filho deste mesmo Convento. PT- DIO/CNSMAVR/1

1753-08-00         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Bernardo José que no século se chamava Bernardo filho legitimo de António de Figueiredo naturais na rua da Fonte Nova freguesia de S. Paio Vila Guimarães, arcebispado de Braga, por filho deste mesmo Convento.           PT- DIO/CNSMAVR/1

1753-12-22         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão que no século se chamava Luís José Francisco Ribeiro filho legítimo de Francisco Manuel e de Ângela Francisca naturais na freguesia de São Torcato termo e couto da Vila de Guimarães, arcebispado de Braga, por filho do Convento de Guimarães.     PT- DIO/CNSMAVR/1

1753-12-22         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Luís de Santa Teresa que no século se chamava Luís António de Araújo e Silva filho legitimo de Miguel de Araújo e Silva e de Custódia Gomes Abreu naturais na freguesia de Santiago de Lanhoso termo de Lanhoso comarca de Guimarães, por filho deste mesmo Convento.           PT- DIO/CNSMAVR/1

1754-00-00         Data inscrita no tubo central órgão de tubos da Igreja do Convento.     Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV.

1754-00-00         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Manuel de Santa Catarina de Sena que no século se chamava Manuel Luís de Mesquita e Melo filho legítimo de Manuel Luís de Mesquita e Melo e de Maria Gonçalves já defunta por filho do Convento de S. Martinho de Mancelos.         PT- DIO/CNSMAVR/1

1754-04-08         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Francisco de São Tomás de Aquino que no seculo se chamava Francisco José de Aguiar filho legitimo de António Simões dos Reis e de Maria Joaquina naturais da freguesia de São Gonçalo desta Vila de Aveiro por filho deste Convento.           PT- DIO/CNSMAVR/1

1754-10-01         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei João da Assunção que no século se chamava João Ribeiro filho legitimo de Francisco Ribeiro e de Catarina de abreu naturais de freguesia de São Martinho de Candoso termo da Vila de Guimarães, arcebispado de Braga, por filho deste. (organista)                 PT- DIO/CNSMAVR/1

1755-09-17         Tomou hábito de noviço de coro neste Convento o irmão Frei Xavier de S. que no século se chamava Francisco Xavier filho legitimo de Manuel de Sousa Neves já defunto e de Ângela da Silva naturais da freguesia de São Julião de Parada de Bouro, arcebispado de Braga por filho do Convento de São Domingos de Guimarães.         PT- DIO/CNSMAVR/1

1774-04-12         Criação da Diocese de Aveiro por Breve de Clemente XIV, a pedido do rei D. José I, com território destacado da Diocese de Coimbra, ficando sufragânea da Arquidiocese de Braga.      
         
1774-05-20         Falecimento de Catarina Correia Rangel de Quadros, sepultada na Capela do Rosário.  Ferreira, 2005, pp. 62-63

1786-09-26         Foi passado o Breve de indulgência plenária e perpétuo dado pelo papa Pio VI a quem visitasse a capela de Nossa Senhora da Escadinha da cidade de Aveiro, junto a este mosteiro.           Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV

1786-11-10         D. Maria I faz beneplácito régio ao breve dado para a Capela de Nossa Senhora da Escadinha de Aveiro de 26 de Setembro desse ano.       Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV

1786-12-12         O Núncio apostólico determina que o dia 25 de Março, dedicado à Anunciação de Nossa Senhora, seria o dia designado para cumprir o breve dado para a Capela de Nossa Senhora da Escadinha de Aveiro de 26 de Setembro desse ano.       Rangel de Quadros, Aveiro – Apontamentos Históricos, IV.

Século XIX – 1ª metade      
        
1810-04-26         Inventário de livros, objecto de ouro e prata e alfaias das Confrarias do Senhor Jesus e de Nossa Senhora do Rosário deste Mosteiro de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro, efetuado por Frei Bento Ferreira Narciso por morte do Pe. Frei João de Santa Rosa que servia de Administrador e tesoureiro, ordenado por Frei João o Espírito Santo, Prior deste Convento.  PT- CSJCNSGAVR/D/1, Receita e despesa da Confraria de Nossa Senhora do Rosário do Convento de São Domingos de Aveiro, f.1.

1812-08-11         Provisão a favor das Confrarias de Nossa Senhora do Rosário e de são Gonçalo permitindo-lhes pedir esmola.   
           
1820-01-17         Autorização para que as Confrarias do Senhor Jesus e de Nossa Senhora do Rosário tivessem esquife.  
             
1834-05-28         Pelo decreto de extinção das Ordens Religiosa foi extinto o Mosteiro de Nossa Senhora da Misericórdia de Aveiro, sendo os bens incorporados nos Próprios da Fazenda Nacional.

1834-06-24         Os religiosos abandonam o Convento de São Domingos de Aveiro.     
  
1835-01-08         Por Portaria do Reino desta data foi entregue a Igreja do extinto Convento de São Domingos à Irmandade de Nossa Senhora do Rosário erecta na mesma igreja.

1835-01-20         Por Portaria do Reino desta data foi ordenada a transferência de posse da igreja do extinto Convento de São Domingos para a Paróquia do Espírito Santo de Aveiro, visto a ruína em que se encontrava a sua Igreja Paroquial.   
            
1835-02-17         Acta da primeira reunião de mesa em que foi apreciado o requerimento do Governador Civil de Aveiro feito ao Pe. Francisco do Rosário, juiz da extinta igreja do Espírito Santo para aprovação do ajuste feito com o mestre pintor Manuel Joaquim Tadeu da obra de reparação do estuque e caiar a nave e capelas, plantar arcos de madeira nas nove frestas, reparar o telhado ao pé do sino e Capela do Santíssimo Sacramento da igreja do Espírito Santo de Aveiro, deliberando-se o ajuste na quantia de 32.000 réis.         PT-PAVR06/A/02/1.

1835-10-18         Colocação das imagens da antiga Igreja de São Miguel na igreja do Convento, transformada em sede da freguesia de Nossa Senhora da Glória e transformação da Capela de Nossa Senhora dos Prazeres, antiga Capela de Nossa Senhora da Esperança, em baptistério, com a colocação da respectiva pia.       
 
1835-11-22         Realização do primeiro baptismo e casamento na Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Glória.             

1836-01-26         Acta de reunião de mesa em que tomou posse e fez instalação nova Junta de Paróquia sendo nomeado presidente José dos Santos Regala, secretário José Joaquim Pinto de Azevedo. Foi dispensado de comparência, segundo a lei, Jerónimo Henriques Ferreira, por ser vereador da Câmara Municipal de Aveiro. Deliberou-se solicitar para nova casa de Junta a casa intitulada de Priorado do Convento de São Domingos, por ser mais cómoda que a sacristia e por se achar desocupada. Deliberou-se apurar contas, títulos e documentos da Confraria de São Pedro, da Senhora da Graça, Irmandade do Senhor dos Passos de Aveiro.     PT-PAVR06/A/02/1.

1836-02-24         Ata da reunião de mesa em que foi requerido pelo tesoureiro da Irmandade do Senhor dos Passos de Aveiro José António Barbosa, visto ter-se reunido nesta paróquia todo o que era pertencente à extinta paróquia de São Miguel de Aveiro, que na igreja paroquial de Nossa Senhora da Glória se destinasse um altar ou capela onde se pudesse colocar a imagem do Senhor dos Passos para que ali se facilitassem as procissões e que a capela ficasse permanentemente dedicada ao Senhor dos Passos e sob administração da Irmandade, designando a Junta a Capela da Senhora da Escadinha para o efeito. Também o tesoureiro da Confraria de Nossa Senhora da Graça, requereu um lugar ou altar onde se pudesse colocar a imagem de Nossa Senhora da Graça designando a Junta a Capela de Santa Catarina para o efeito.     PT-PAVR06/A/02/1.

1837-06-18         Acta da reunião de mesa em que se procedeu à instalação de nova Junta sendo eleito presidente o Dr. José Joaquim de Sousa Monteiro, secretário Custódio José Baptista e tesoureiro, José Fernandes Melício. PT-PAVR06/A/02/1.

1837-06-25         Acta da reunião de mesa em que foi conferido o inventário de bens e rendimentos da Junta de Paróquia, deliberando-se que à falta do sobredito se começasse a efectuar novo arrolamento. Esclareceu-se que dos objectos que tiveram lugar na nova igreja paroquial, parte de peças de madeira dos retábulos foi vendida ao Dr. de Assequins, e outra parte, um retábulo da extinta confraria do Santíssimo Sacramento de São Miguel, foi vendido para a Capela de São João de Verdemilho por 48.000 réis.       PT-PAVR06/A/02/1.

1837-07-02         Acta da reunião de mesa em que foi dito pelos antigos oficiais que não se havia recebido o inventário de bens das duas Paróquias de São Miguel de Aveiro e do Espírito Santo de Aveiro, guardando o sacristão António Joaquim da Silva Pádua, parte dos objectos existentes e outra parte na mão do Prior e mais pessoas que constam de uma relação que se fez e num livro de 1825 com o titulo de Inventário dos paramentos e traste pertencente à Sacristia do Santíssimo Sacramento da freguesia de São Miguel de Aveiro. Entregaram um livro onde estavam inscritos os objectos que pertenciam à extinta Freguesia do Espírito Santo e um livro em que se achavam inscritos os rendimentos da Fábrica da freguesia do Espírito Santo e duas plantas da nova torre projectada para a actual igreja da freguesia de Nossa Senhora da Glória.   PT-PAVR06/A/02/1.

1837-08-03         Acta da reunião da mesa em que foi decidido requerer a venda de alguns dos móveis da Fabrica da Igreja ao Administrador Geral para suprir a falta de dinheiro, e requerer a entrega de 48.000 réis que se encontravam em poder de José Gonçalves Lomba, ex comissário desta paróquia provenientes de bens que a paróquia vendeu.  PT-PAVR06/A/02/1.

1837-08-10         Acta da reunião da mesa em que foi deliberado substituir do cargo de tesoureiro o Pe. Francisco do Rosário pelo Pe. José da Cunha Neves, que por ser escrivão da Santa Casa da Misericórdia de Aveiro não pode aceitar, sendo nomeado António Simões da Cruz Maio, assistente na rua de São Sebastião acumulando o cargo de sacristão.               PT-PAVR06/A/02/1.

1837-09-07         Acta da reunião da mesa em que se procedeu ao inventário de bens móveis pertencentes à Fabrica da Igreja da Paróquia de Nossa Senhora da Glória de Aveiro em livro próprio.        PT-PAVR06/A/02/1.

1837-10-19         Acta da reunião da mesa em que o ex tesoureiro da Junta José Fernandes Melício fez entrega e de três livros intitulados da receita e despesa do tempo em que serviu, um encadernado pertencente à extinta Igreja de São Miguel de Aveiro e dois com capa de pergaminho pertencente à extinta Igreja do Espírito Santo de Aveiro, entregando também oito livros antigos do legado de São Miguel de Aveiro e a quantia de 47.025 réis restantes. Verificou-se que um dos livros de receita despesa a partir de folhas 127 em diante se encontrava emendado e riscado, declarando o ex tesoureiro que não fora sua culpa, mas sim travessuras de suas filhas de tenra idade.        PT-PAVR06/A/02/1.

1837-10-22         Acta da reunião da mesa em que se orçamento a obra de construção da nova torre da igreja paroquial em 800.000 réis não possuindo a Junta dinheiro suficiente para este fim.   PT-PAVR06/A/02/1.

1838-02-18         Acta da reunião da mesa em que se fez entrega dos bens e rendimentos às Confrarias e Irmandades legitimamente erectas da Paróquia às quais a Junta passada tinha retirado a administração.     PT-PAVR06/A/02/1.

1838-06-16         Acta da reunião da mesa em que os antigos antigos tesoureiros José Fernandes Melício e Ventura da Silva da extinta freguesia de São Miguel de Aveiro e António Simões da Cruz Maio da extinta freguesia do Espírito Santo de Aveiro fizeram entrega dos papéis e títulos em seu poder ao Arquivo da Junta de Paróquia da Glória. PT-PAVR06/A/02/1.

1838-07-19         Acta da reunião da mesa é referido o empréstimo de um sino para a Paróquia da Vera Cruz de Aveiro do qual não se providenciou documento de prova.              PT-PAVR06/A/02/1.

1838-08-03         Nesta data foi destinado instalar no extinto Convento de São Domingos de Aveiro um quartel interino militar do Batalhão de Caçadores nº28.

1838-09-23         Acta da reunião da mesa em que se fez uma representação a sua Majestade para se conceder à Junta de Paróquia a casa do capítulo para efeito das suas funções e arrecadação de objectos, visto ter-se dado o restante do Convento de São Domingos para quartel de tropa, corpo de caçadores nº28.   PT-PAVR06/A/02/1.

1838-10-31         Acta da reunião da mesa em que foi requerido ao Administrador Geral autorização para venda em hasta pública dos vários objectos e porções de madeira das demolidas igrejas de São Miguel que se encontravam na Casa de arrecadação da Junta de Paróquia da Glória, entre estes trastes o órgão de tubos que foi da demolida igreja e uma porção de canudos de estanho. PT-PAVR06/A/02/1.

1839-11-05         Autos para revista e bênção da capela dedicada à imagem de Jesus Cristo crucificado, construída no cemitério público da cidade de Aveiro.                 Arquivo da Universidade de Coimbra, Cabido de Coimbra, Instituições pias, cx  II, doc. 30

1839-11-10         Bênção do cemitério público, construído em parte da antiga cerca do Convento. 
          
1841-02-14         Acta da reunião da mesa em que foi deliberado recolher a telha caída e madeira da extinta Igreja do Espírito Santo visto o tecto da mesma ter caído sobre o coro. PT-PAVR06/A/02/1.

1841-05-21         Por ofício do Bispo eleito vigário capitular da Diocese de Aveiro faz requerer ao Pe. José da Cunha Neves a entrega dos sinos que foram da Igreja de São Miguel de Aveiro com a condição de os tornar a restituir que serviram para na Igreja Catedral (Recolhimento de São Bernardino)         PT-PAVR06/A/02/1.

1843-05-27         Acta da reunião da mesa em que se aponta o estado de ruína do órgão de tubos da igreja de São Domingos de Aveiro deliberando a Junta de Paróquia da Glória o seu concerto.    PT-PAVR06/A/02/1.

1843-10-18         Na tarde deste dia, que era uma quarta-feira, houve um violento incêndio no Convento Dominicano de Nossa Senhora da Misericórdia, em Aveiro, que servia de quartel militar, tendo o General Pedro António Rebocho, visconde de Santo António, evitado que se propagasse à igreja e atingisse mais desastrosas proporções; afirmou-se que o fogo fora ateado propositadamente.    Campeão das Províncias, 10-5-1905; Marques Gomes, em Memórias de Aveiro, pgs. 162-163, diz que o incêndio foi no dia 19 deste mês; ARROTEIA, 1989, p. 63. Correspondência e relatórios: PT/AHMOP/MR-002/MR 2 D 1R/2/133-223/MR 2D 2R 1 - Lº 1 - nº 205.

1843-11-05         Acta da reunião da mesa em que foram arrematados em hasta pública os fragmentos de talha, madeiras e trastes guardados na Casa do capítulo da Igreja de São Domingos sendo o maior lanço o de Manuel António de Loureiro Mesquita de 1200 reis. PT-PAVR06/A/02/1.

1844-02-05         Na noite do dia 4 para o dia cinco foi arrombada a sacristia da Igreja sendo furtados vários objetos de prata (cálice, patena e colher, âmbulas dos santos óleos) e arrancadas as grades de ferro das janelas.            PT-PAVR06/A/02/1.

1844-05-27         Acta da reunião da mesa em foram apresentados dois requerimentos, um do tesoureiro da Confraria do Espírito Santo erecta na igreja de São domingos para que se lhe entregasse o retábulo de altar do Espírito Santo assim como o pano da mesma Confraria que serve por ocasião das festas na porta da Igreja e outro requerimento do tesoureiro  das Almas requerendo o retábulo de altar das Almas da extinta igreja do Espírito Santo, visto a igreja se encontrar em ruina e pensar-se na sua demolição.     PT-PAVR06/A/02/1.

1845-04-01         O arcebispo de Braga foi nomeado administrador apostólico da Diocese, sede vacante, tendo nomeado vários vigários. 

1845-04-13         Acta da reunião da mesa em que foi requerida a entrega do sino que se havia emprestado para a igreja da Vera Cruz de Aveiro.     PT-PAVR06/A/02/1.

1845-09-11         Foi passada carta de pároco da igreja de Nossa Senhora da Glória ao Padre Manuel José Correia Leal. Torre do Tombo, Chancelaria de D. Maria II, livro 26, fl. 204.

1845-07-24         Neste dia a porta da Igreja do Espírito Santo de Aveiro havia sido arrombada e furtada uma porção de madeira que existiria no interior visto a igreja estar destelhada.         
    
1846-09-15         Acta da reunião da mesa em que foi feita uma avaliação da ruina das abóbadas da igreja de São Domingos, que por motivo das grandes chuvas que tem caído têm estragado os altares das capelas e deixando as paredes cheias de verde, pelos peritos João Apostolo, mestre carpinteiro e José da Graça, mestre de alvenaria a fim de se proceder à competente obra.          PT-PAVR06/A/02/1.   
                   
Século XIX – 2ª metade

1858-02-10         Termina a demolição da Igreja do Espírito Santo, sendo os materiais empregues na construção da torre sineira da nova paroquial.         
 
1859-00-00         Obras na Capela do Senhor Jesus, com colocação do túmulo de João de Albuquerque encostado à parede da Capela.          GASPAR, p. 21.

1862-05-28         Inauguração da torre sineira, com sinos provenientes das Igrejas de São Miguel e do Espírito Santo, no local onde se erguia a Capela de Nossa Senhora da Escadinha. 
         
1863-09-09         Colocação de um relógio na torre da igreja.     
  
1864-10-01         O destacamento militar abandona a zona do antigo convento, passando para o de Santo António.

1864-10-05         Pagamento ao relojoeiro Domingos Nunes Matos da empreitada de compostura do relógio da torre da igreja.   PT-PAVR06/A/02/2.

1865-00-00         O Município de Aveiro fez reparações na sala da biblioteca e aí estabeleceu a aula de instrução primária do sexo masculino da freguesia, e aula noturna para operários e serviçais.

1865-03-00         Neste mês caiu quase toda a parte do edifício a norte da ala onde se encontrava a biblioteca.

1866-10-08         Venda de parte da cerca do Convento a Custódio da Rocha.     

1867-00-00         Ruiu a parte mais alta da zona queimada do Convento.    
           
1868-03-17         Foi examinada a abobada do corpo da igreja pelos peritos de alvenaria Bernardo António da Graça e José Rodrigues da Graça, de Aveiro, concluindo-se que, pela total ruina em que se encontrava seria necessário emadeirar e substituir toda a estrutura da igreja.
 PT-PAVR06/A/02/2.

1868-04-19         Foi decidido fazer obra de completa reedificação na igreja de São Domingos sendo transferido o culto assim como todas as alfaias para a Igreja do Convento de Santo António de Aveiro, passando esta a servir de Igreja paroquial da Glória enquanto durassem as obras.     PT-PAVR06/A/02/2.

1868-05-30         Foi efectuado o orçamento para a obra da igreja acompanhado pelos mestres carpinteiros José Carvalho Branco e José Francisco Carvalho de Aveiro num total de 1.614.000$50 reis, decidindo-se efectuar derrama pelos paroquianos e venda de foros de propriedades e marinhas para fazer face às despesas.            PT-PAVR06/A/02/2.

1872-00-00         Nesta data foram demolidos os restos ardidos do Convento.   

1872-00-00         Construção do coro-alto, obrigando ao rebaixamento das capelas laterais e fazendo desaparecer alguns painéis de azulejo.         Gaspar, João Gonçalves, Catedral de Aveiro – História e Arte, Aveiro, 1979, p. 12 e 17

1874-11-01         Foi mandada reparar a sacristia pertencente aos mordomos do Santíssimo Sacramento e a Casa do Capítulo onde funcionava a Junta de Paróquia, contígua a esta.

1876-04-09         Foi colocado um guarda-vento na porta principal.           PT-PAVR06/A/02/2.

1878-04-07         A Confraria do Senhor Jesus solicita a cedência da sacristia contígua à Capela do Senhor Jesus, reparando as paredes e pavimento e colocando o túmulo de D. João de Albuquerque na Capela de Nossa Senhora dos Prazeres por ser menos concorrida de fregueses e mais larga. PT-PAVR06/A/02/2.

1878-07-21         Foi pago o concerto das imagens da Capela do Baptistério a Gabriel Pereira da Bela de Ílhavo importando o restauro em 8.400 reis. PT-PAVR06/A/02/2.

1879-00-00         Colocação do retábulo proveniente da Igreja de Vera Cruz na capela-mor.
GASPAR, 1979, p. 32. (informação não correspondente)

1879-06-10         Foi efectuado orçamento feito pelo engenheiro A. F. de Araújo e Silva para obras a efectuar no interior da Igreja da Glória de Aveiro (soalhos, ladrilho, balaustradas, elevação de uma cúpula junto ao arco cruzeiro, sanefa, pia baptismal, portão, tribuna para o altar-mor, concerto do órgão sanefas de janelas) no exterior (construção de duas casas anexas, restauro do pórtico, mudança do cruzeiro para o centro do adro e construção de gradeamento de ferro com pilares de pedra junto à rua).   PT-PAVR06/EA/03/1

1880-00-00         Colocação do túmulo de D. João de Albuquerque à entrada da sacristia. GASPAR, 1979, p. 21. 

1880-01-13         Acta da reunião de mesa em que foi decidida a compra de retábulo e tribuna do Convento de São Francisco da Ponte da cidade de Coimbra, abandonada do culto, para adaptação à Capela-mor da Igreja do Convento de São Domingos de Aveiro pela Junta de Paróquia da Glória de Aveiro, pedindo-se ao Engenheiro António Ferreira de Araújo e Silva que se deslocasse a Coimbra acompanhado de um artista competente para as necessárias medições e que possa ficar em Coimbra a dirigir a demolição e efective a compra disponibilizando-se a quantia de 400.000 réis.

1880-07-30         Acta da reunião de mesa onde se informa da recepção de uma carta de Coimbra autorizando a Junta a mandar alguém ao Convento de São Francisco de Coimbra até ao dia 4 de Agosto para realizar a compra da tribuna com poderes para negociar como melhor puder e entender.

1880-08-04         Acta da reunião de mesa em que se informa da ida a Coimbra e da compra à Comissão liquidatária da Companhia de Fiação e Tecidos de Coimbra da tribuna da extinta Igreja de São Francisco da Ponte pela quantia de 430.000 réis dando-se sinal de 100.000 réis  sendo agora necessário apear a antiga tribuna e o órgão e arrancar os caixilhos e quadros da parede e as bancadas da antiga colegiada assim como adjudicar em hasta pública o apeamento e transporte da tribuna comprada em Coimbra.

1880-10-28         Acta da reunião de mesa em que se informa dos trabalhos de apeamento da tribuna da Igreja do Convento de São Francisco da Ponte em Coimbra solicitando-se que o encarregado a acompanhasse o transporte da referida para Aveiro e sua acomodação.

1880-12-01         Acta da reunião de mesa em que se informa que se havia sido pago à Companhia Real dos Caminhos de Ferro pelo transporte de três vagões desde a estação de Coimbra a Aveiro carregados de objectos que constituem a antiga tribuna comprada em Coimbra, assim como se havia feito a transporte da estação para a Igreja e seu arrumo.

1881-09-30         Extinção da Diocese de Aveiro por bula de Leão XIII.

1882-09-04         Execução do teor da Bula papal de 30 de Setembro de 1881 que extinguia a Diocese de Aveiro.           
  
1882-09-16         Por decreto desta data publicado no Diário de Governo nº 210 de 18 do mesmo e pelo art. 3º e 4º foi entregue à Junta de Paróquia de Nossa Senhora da Glória a guarda e conservação dos objectos da extinta Sé de Aveiro, anterior igreja do Recolhimento de São Bernardino.

1882-12-01         Acta da reunião de mesa onde se propõe tomar deliberação acerca da tribuna que havia sido comprada para colocar na Capela-mor visto ser necessário proceder a obras avultadas para altear as paredes da Capela-mor, ponderando-se a troca desta tribuna por outra que pertenceu à extinta Igreja da Vera Cruz de Aveiro.

1884-08-26         A Junta da Paróquia resolve comprar a tribuna da capela-mor da demolida Igreja de Vera Cruz para colocar na igreja, por estar arruinada a que possuí.

1884-12-01         Orçamento para obra de substituição e apeamento da antiga tribuna da Capela-mor da Igreja da Glória de Aveiro e colocação de nova tribuna.

1885-00-00         Colocação do túmulo de D. João de Albuquerque na Capela de Nossa Senhora da Misericórdia.                GASPAR, 1979, pp. 21-22.

1885-08-05         Acórdão da Comissão Distrital autorizando a venda em hasta pública das diversas peças que formavam a antiga tribuna da Capela-mor.

1885-08-16         Foi vendida em hasta pública as diversas peças que formavam a antiga tribuna e retábulo da Capela-mor do Convento de São Domingos de Aveiro a Pedro Simões Maio, lavrador de São Bernardo de 68 anos de idade, pelo valor de 50.000 reis, não havendo licitantes para o trono do retábulo e sobre-céu da Capela-mor.

1885-08-20         Foi arrematado pela Junta de Paróquia da Freguesia da Glória de Aveiro pela quantia de 108.010 réis a tribuna da Capela-mor da Igreja da Vera Cruz de Aveiro.

1885-08-26         Foi arrematado pela Junta de Paróquia da Freguesia da Vera Cruz de Aveiro pela quantia de 481.020 reis a tribuna adquirida pela Junta da Glória de Aveiro que havia pertencido ao Convento de São Francisco da Ponte da cidade de Coimbra.

1886-00-00         Obras na capela baptismal, sendo removidos os azulejos.  FERREIRA, 2005, p. 70.
1887-06-19         Inauguração da igreja, após obras de remodelação.

1888-03-11         Foram arrematados os restos da antiga tribuna da Capela-mor do Convento de São Domingos de Aveiro por João Augusto Marques Gomes.

1892-04-27 — Sob a presidência do bispo-conde de Coimbra, D. Manuel Correia de Bastos Pina, realizaram-se solenes exéquias na igreja da Glória por alma do Cónego José Cândido Gomes de Oliveira Vidal, falecido em 22 de Março, natural de Ílhavo, exercendo em Aveiro os cargos de pároco da freguesia de Nossa Senhora da Glória, professor no Curso de Ciências Eclesiásticas, vigário-geral substituto da Diocese, arcipreste de Aveiro, director do Colégio de Santa Joana e ainda reitor do Liceu local.

1893-09-10         Foi efectuado concerto no cadeiral da Capela-mor pelo marceneiro António de Oliveira. PT-PAVR06/A/02/6.

1893-09-24         Foi efectuado concerto do telhado e tecto da Capela da Senhora do Rosário tendo sido pago ao artista José Pereira a quantia de 13.850 reis. PT-PAVR06/A/02/6.

1893-11-05         Foi pago a Firmino Fernandes 1.920 reis de desempenar o sino grande, da mudança e limpeza de um quadro representando o Espírito Santo e reparos na grade da Capela da Senhora do Rosário. PT-PAVR06/A/02/6.

1893-11-19         Foi pago a Francisco Joaquim da Silva dois livros de Artes de Cantochão no valor de 13.000 reis. PT-PAVR06/A/02/6.

1894-08-24         Foi deliberado reconstruir a parede de fachada da Capela de Nossa Senhora da Ajuda, no limite desta freguesia. PT-PAVR06/A/02/6.

1894-12-30         Foi colocado na torre da igreja um poste chumbado para o telegrafo postal.

1895-05-02         Foi benzida pelo Pe. António da Cruz Vieira, com licença do prelado da Diocese, a Capela de Nossa Senhora da Ajuda após obras de beneficiação.

1898-00-00         Data de restauro do candelabro das trevas existente na Capela de Nossa Senhora do Rosário.

1888-00-00         Foram demolidos os restos ardidos do claustro e dependências do Convento.

1895-04-12         Autos para revista e bênção para a Capela de Nossa Senhora da Ajuda de Aveiro.         Arquivo da Universidade de Coimbra, Cabido de Coimbra, Instituições pias, cx. II, doc. 31.

Século XX – 1ª metade

1900-00-00         Foi demolida a sala da farmácia e outros anexos do Convento.

1900-03-07         Chega à Igreja a Imagem do Senhor dos Passos, encomendada pela respetiva Irmandade a António Teixeira Lopes e executada pelo seu discípulo Carlos Leituga e arranjo da Capela do Senhor Jesus com feitura da cúpula em gesso.

1904-00-00         Refundição do sino proveniente da demolida Igreja do Espírito Santo de Aveiro.

1910-10-21         É transportado o Santíssimo da Igreja de Jesus, então encerrada ao culto, para a igreja de São Domingos.

1911-08-11         Pela Lei de Separação do Estado das Igrejas, procedeu-se ao inventário da Igreja da Nossa Senhora da Glória, incluindo também informação para Igreja da Sé do Recolhimento de São Bernardino, Capela da Senhora da Ajuda, Igreja do Convento de Jesus, Igreja do Convento das Carmelitas, Capela de São Brás, Capela da Senhora da Vitória, Capela de São Bernardo, Capela da Misericórdia, Capela das Almas e Capela de São Francisco. Arquivo Corrente do Ministério das Finanças CJBC/AVE/AVE/ARROL/006.

1911-10-25         Foi pedida cedência à Junta de Paróquia da freguesia da Gafanha de uma tribuna, altares e imagens que estão em poder da Junta de Paróquia de Vera Cruz e que havia sido adquirida pela Junta de Paróquia da Glória e que pertenceram ao Convento de São Francisco de Coimbra.

1913-05-19         Cedência de objectos do culto, existentes na antiga Sé de Aveiro, ao Museu Regional de Aveiro.                 ACMF/Arquivo/CJBC/AVE/AVE/CEDEN/002.

1916-08-23         Pedido de objectos do culto da antiga Igreja da Sé de Aveiro para a Capela de São Tiago, freguesia da Glória.                ACMF/Arquivo/CJBC/AVE/AVE/ADMIN/018.

1916-10-14         Transferência, por cedência a título de depósito, de vários objectos artísticos existentes na Igreja da Sé de Aveiro, para o Museu Regional de Aveiro. ACMF/Arquivo/CJBC/AVE/AVE/ADMIN/020.

1917-10-24         Pedido de João Augusto Marques Gomes, vogal do Conselho de Arte e Arqueologia da 2ª Circunscrição, que seja cedido um velho altar da extinta Sé de Aveiro, para ser colocado na Capela de Santiago, ultimamente construída na área da cidade.
ACMF/Arquivo/DGJC/AVE/AVE/PRDIV/004.

1927-03-09         Entrega de bens arrolados, ao abrigo do Decreto nº 11887, á paróquia da freguesia de Nossa Senhora da Glória de Aveiro. ACMF/Arquivo/CJBC/AVE/AVE/ADMIN/002.

1938-08-24         O Papa Pio XI, atendendo às justas solicitações dos aveirenses, pela bula «Omnium Ecclesiarum», houve por bem restaurar e reconstituir a Diocese de Aveiro, com 82 paróquias, absorvendo território das Dioceses de Coimbra, Porto e Viseu, nomeando como administrador apostólico o ilustre aveirense D. João Evangelista de Lima Vidal.          Gaspar, João Gonçalves, A Diocese de Aveiro – Subsídios para a sua História, pp. 281-283.   

1938-12-11         A Diocese é instalada na Igreja de São Domingos, então elevada a Catedral.

1940-01-28         É nomeado D. João Evangelista de Lima Vidal como bispo da Diocese de Aveiro.

1945-09-20         Cedência ao Estado do túmulo de João de Albuquerque, colocado no Museu de Aveiro.

Século XX – 2ª metade

1955-00-00         Projeto de remodelação do adro da igreja, pedindo a Câmara autorização para deslocar o Cruzeiro, que viria a ser recusado.       SIPA, txt.00852457.

1970-00-00         Remoção do cruzeiro exterior para a capela da galilé, onde se achava o baptistério.

1974-00-00         Reconstrução da catedral, conforme projeto do arquitecto Fernando Abrunhosa de Brito, do Porto; feitura do presbitério, em betão, ferro e pedra artificial, para o que se demoliu o transepto e a capela-mor; redistribuição do património integrado, com a remoção do túmulo de D. Catarina de Ataíde da capela-mor para a Capela de Nossa Senhora da Misericórdia; trasladação da Capela do Senhor dos Passos para a segunda da Epístola; construção das sacristias e salas de catequese.

1975-00-00         Colocação da cúpula da Capela do Senhor dos Passos no centro do presbitério.

1976-00-00         Transferência do recheio da primeira capela da galilé para a primeira capela lateral do Evangelho; colocação da pia baptismal no presbitério; instalação da imagem do Senhor dos Passos na segunda capela da Epístola, antiga Capela do Santíssimo; colocação do retábulo da capela da galilé na Capela de Nossa Senhora da Conceição, na primeira do Evangelho; colocação do altar que se encontrava na última capela da Epístola na do Sagrado Coração de Jesus; colocação da imagem de Nossa Senhora da Escadinha no braço do Evangelho do presbitério; durante as obras, encontraram-se silhares siglados medievais, colocados nas portas do braço do Evangelho do presbitério e descoberta uma legenda que invoca o incêndio que destruiu a sacristia; colocação da imagem de Nossa Senhora da Conceição no retábulo-mor, proveniente da Igreja do Espírito Santo anteriormente em altar na Capela de Santa Catarina de Sena. GASPAR, pp. 20-33.

1976-04-04         Inauguração da Catedral, após obras de ampliação do templo; 1978 - remoção do cruzeiro do terreiro e feitura de um molde para a execução da réplica, em pedra artificial, nas oficinas de Franklin Ramos Pereira, de Afife (SIPA: txt.00852260);


1979-00-00         Colocação no interior do templo do Cruzeiro de São Domingos, a expensas da Diocese.